Parto Humanizado

IBGO - Parto Humanizado

Apesar de ainda ser centro de muitas dúvidas e tabus, o parto humanizado vem ganhando cada vez mais espaço entre as escolhas das gestantes. Surgido da insatisfação de várias mulheres com os procedimentos hospitalares, o parto humanizado se apresenta como uma opção mais acolhedora e natural para aquelas que estão aguardando o grande dia.

Diferente do que muitos pensam, o parto humanizado não se define por ser feito em casa, na banheira ou sem anestesia. Ele não é definido pelo local onde é feito ou pelos métodos que ele utiliza, mas sim por um conjunto de ações que buscam individualizar a atenção à mulher e ao bebê.

Essa é a principal característica que o difere do parto normal, por exemplo, em que há um procedimento padrão a ser seguido. O parto humanizado é único para cada mulher, variando de acordo com as vontades e necessidades tanto da gestante quanto do bebê. Pode ser realizado em casa, na banheira, ou mesmo no hospital, se assim ela quiser. O importante é que a mulher se sinta confortável e tenha tudo à sua disposição para garantir a sua segurança e a do bebê.

O parto humanizado é realizado sem médico?

Não, de forma alguma! Todo parto humanizado deve ser acompanhado por profissionais de saúde. Isso garante a segurança tanto da gestante quanto do bebê. O que muda no parto humanizado é o protagonismo, que deixa de ser da equipe médica e passa a ser da mulher.

O médico está presente apenas para auxiliar a gestante e garantir a segurança dela e do bebê. Isso significa que as principais decisões do parto não serão tomadas pela equipe médica, mas sim pela gestante. Portanto, qualquer procedimento só é utilizado se for da vontade ou da necessidade da mulher.

Quem mais acompanha a gestante durante o parto?

Além da equipe médica, existe o papel da doula, uma assistente da mulher que a acompanha desde o início da gestação até os primeiros meses após o parto. A doula é responsável por informar e acolher a mulher de forma física e emocional.

Apesar de não ter formação médica, a doula costuma exercer também o papel de cuidador, pessoa que mais acompanha a mulher no momento do parto. Durante o grande dia, o cuidador deve fornecer acolhimento físico e emocional à gestante, de forma que a tranquilize. O objetivo é fazer com que o corpo da mulher fique mais relaxado, fazendo com que processo ocorra de forma mais natural e saudável.

Além da doula, o papel de cuidador costuma ser exercido pelo parceiro da mulher. Membros da equipe médica também podem atuar como cuidadores, mas esse é um papel que costuma ser exercido por pessoas mais próximas à gestante.

O parto humanizado dói mais?

Muitas mulheres fogem do parto humanizado por medo da dor, já que ele tende a não usar anestesias (embora isso não seja uma regra). Entretanto, quem defende o parto humanizado diz que o corpo da mulher já é preparado para essas dores. Além disso, essa dor ajudaria também a preparar a mulher para as dificuldades da criação do bebê.

Outra questão a ser levantada é quanto ao processo de recuperação. Apesar de a dor ser mais intensa do que de um procedimento que se utiliza de anestesia, a recuperação de um parto humanizado é mais tranquila do que a de uma cesárea. Isso se dá pelo fato de que a cirurgia cesariana é muito invasiva. Ela corta sete camadas de tecido da mulher, incluindo o músculo abdominal. A recuperação de uma cesária pode levar meses, justo quando a mãe precisa estar inteira para cuidar do bebê.

Afinal, o parto humanizado é mais saudável?

Muitas gestantes e especialistas defendem que o parto humanizado é sim mais saudável que os demais. Isso porque o principal foco de todo esse conjunto de procedimentos é o respeito à mulher e às suas necessidades. Dessa forma, todo o processo ocorre de maneira mais natural e, portanto, mais benéfico à saúde.

Entretanto, mais que uma opção mais saudável, optar por um parto humanizado deve ser uma escolha que visa qual experiência a mulher quer ter. Aquelas que optam por realizar o parto humanizado normalmente buscam por uma vivência plena e natural do momento do parto, pois acreditam que essa é uma maneira de se conectar mais a ele.

Portanto, mais do que uma escolha racional, a decisão por um parto humanizado deve partir do interior da gestante, daquilo que ela almeja vivenciar. Trata-se de um dos momentos mais importantes da vida de uma mulher. É preciso que ele corresponda a seus anseios, crenças e expectativas.

Fonte:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Parto_humanizado

http://www.despertardoparto.com.br/o-que-e-parto-humanizado.html

http://www.despertardoparto.com.br/medos-e-mitos-no-parto-normal.html

https://bebe.abril.com.br/gravidez/entenda-como-e-o-parto-humanizado/

https://www.altoastral.com.br/parto-humanizado-duvidas/